Moda irreverente

SaltosConhecido como o hooligan (em inglês, “cruel e brutal”) da moda inglesa, Alexander McQueen nasceu em março de 1969 em uma família de seis irmãos. Ganhou fama internacional com suas criações provocadoras que chocavam as plateias em desfiles que eram verdadeiros espetáculos.

Aprendeu seu ofício aos 16 anos, quando abandonou os estudos e se tornou aprendiz em diferentes ateliês de costura na famosa rua Savile Row, no centro de Londres, especializada no ramo. Além de costurar roupas para pessoas importantes – como o Príncipe Charles –, McQueen participava da confecção de figurinos teatrais.

Aos 20 anos, mudou-se para Milão e, quatro anos depois, retornou a Londres para fazer mestrado em design na prestigiosa escola de arte Central Saint Martins. Sua coleção de graduação foi vendida para a editora de moda Isabella Blow, que se tornou sua melhor amiga e uma de suas musas inspiradoras.

Entre 1996 e 2003, ele ganhou quatro vezes o prêmio de Melhor Designer do Ano e também foi condecorado com o título de “Commander of the British Empire”, entregue em cerimônia formal realizada pela Rainha Elizabeth.

Sua grife mescla transgressão e doçura por meio de cortes que unem o estilo punk à alfaiataria. Mestre no domínio de corte, acabamento e silhueta, McQueen abusava de espartilhos, rendas, tailleur e acessórios de couro. A floresta Amazônica e tabuleiros de xadrez em formas gigantes já foram inspirações para os cenários dos desfiles de McQueen.

Em 2010, o estilista foi encontrado morto em sua casa em Londres, aos 40 anos. O inquérito sobre sua morte concluiu que ele cometeu suicídio depois de consumir cocaína, tranquilizantes e pílulas para dormir.

Veja abaixo um dos desfiles mais famosos de McQueen, em que robôs pixadores colorem o vestido da modelo no desfile em Paris, em 1999.