O gênio da moda

Yves Saint Laurent tinha apenas 21 anos quando, em 1957, após a morte de seu fundador, assumiu a direção criativa da Christian Dior. Três anos antes, o jovem havia despertado o interesse da maison francesa ao vencer um concurso de moda. A precocidade, no entanto, não impediu que a sua primeira coleção para a Dior fosse um tremendo sucesso: ele surpreendeu o público apresentando a saia evasê (em forma da letra A) e o vestido trapézio (rompendo com a cintura marcada).

Em 1960, Saint Laurent foi convocado para servir no Exército da Argélia, seu país de origem. Ao voltar a Paris, no ano seguinte, fundou sua própria maison com a ajuda do empresário e companheiro de toda a vida, Pierre Bergé. A partir daí, a sigla YSL se tornou ícone de sofisticação e luxo no mundo todo.

O estilista causou frisson unindo a moda à arte, com a criação de vestidos de estilo tubinho inspirados no trabalho do artista plástico holandês Piet Mondrian, que usava em suas obras apenas cores puras e listras verticais e horizontais. Visionário e inovador, ele foi o primeiro costureiro a abrir uma butique prêt-à-porter (em francês, “pronto para vestir”), que democratizou a moda oferecendo variedade de tendências e preços.

Seu grande sucesso, no entanto, foi a concepção do smoking feminino, em 1966, que revolucionou o universo feminino ao atribuir mais poder às mulheres. Outros destaques do seu potencial criativo foram os looks de estilo safári, que faziam referência à África, e as calças knickers, na altura dos joelhos.

Em 2002, Yves Saint Laurent anunciou sua aposentadoria com um grande desfile, no Centro Georges Pompidou, em Paris, em que fez uma retrospectiva dos seus 40 anos de carreira. O estilista morreu em junho de 2008, aos 71 anos.